Documental de Família São Borja - RS

Um Dia na Vida - Família Alves Cardozo - Autismo

Existe um mundo diferente a nossa volta, onde cada um luta as suas próprias batalhas diárias e na grande maioria das vezes nós não enxergamos essas batalhas, ou ao mesmo tempo também fazemos "de conta" que não vemos.

A Vida Real é o Novo Perfeito - é lindo ver quando temos as ações do dia nacional do autismo, da síndrome de down, e outras ações que envolvem as crianças especias isso é PERFEITO todo o envolvimento - mas o REAL é o que a gente não vê, a gente não presencia, a gente não vive.

Cada vez mais tenho a certeza que de esse projeto representa muito mais daquilo que eu imagino, ou pense que possa representar pra cada família, é infinitamente maior do que tudo.

Isaac e Vânia, meus amigos de infância, voltar a São Borja depois de 20 anos pra contar essa história linda, que por um momento foi de muito sofrimento, desconfiança, depressão, tensão - mas é um tempo de AMAR.

AMAR SOBRETUDO, AMAR pra se descobrir, AMAR pra ser forte, AMAR pra se reinventar, AMAR para unir a família, AMAR pra compartilhar, AMAR pra esperar.

"Dizer que além de registrar a rotina do nosso "Anjo Azul" (assim os autistas são considerados), o que ficará para sempre em nossas memórias, este trabalho serve para conscientização da sociedade sobre a importância da união da família diante de uma situação em que se insere uma criança especial...se todos apoiarem, aceitarem e arregaçarem as mangas para a "Inclusão" não haverá barreiras para o aprendizado e evolução da criança, pois o amor é o melhor remédio de todos.
O Autismo nos ensinou ainda mais a: amar incondicionalmente... paciência....aceitação... compaixão... e acima de tudo FÉ.
Lutamos juntos pela inclusão do nosso filho em um mundo que respeite as diferenças." - Vânia e Isaac

Obrigado as professoras da APAE - São Borja e da Cândida Vargas que permitiram os registros desse dia na vida do Isaquinho <3 <3 - a pessoas precisam conhecer esse lindo trabalhos que vcs fazem.

E cada dia mais tenho a certeza de que precisamos aprender muito mais com a simplicidade das crianças, e de alguma forma sermos como elas.